quarta-feira, 7 de julho de 2010

De repente...


De repente, você conhece um cara. Num momento em que não esperava, nem estava querendo. Num lugar inimaginável de se encontrar, tipo um supermercado. Numa cidade diferente da sua. Apenas acontece.
Tantos dias se passaram e você procurando. Sempre dando a milésima olhada no espelho antes de sair de casa, antes de sair do banheiro na balada, antes de sair do elevador, para ver se estava tudo ok, para ver se o rímel não estava borrado. Tantas tardes vagando pelas lojas com a melhor amiga, à procura do look perfeito, da bota mais moderna, da lingerie mais reveladora.
Aí, numa terça-feira à tarde, você com um jeans surrado, cabelo mal amarrado, cansada depois de um dia especialmente difícil no trabalho, se dá de presente uma bela fatia de torta na cafeteria que mais adora, e ele aparece. Sentado com um amigo, com um chopinho na frente, sorri para você.

Mulher se prepara. Sonha. Se depila. Se perfuma. Esfuma a sombra mais uma vez, retoca o delineador, olha para as unhas, se apavora quando um cantinho estragou. Dá mais uma escovada nos cabelos. Bebe cerveja com as amigas, querendo mostrar que está se divertindo, mas discretamente nota todos os representantes masculinos do ambiente.
E quando se solta, e simplesmente está comendo um cachorro quente com a melhor amiga na lancheria mais ordinária - mas que faz o melhor cachorro quente da cidade - pensa: por que ir para casa?
E assim, sem banho, sem produção, sem perfume, usando um vestido de menina e sapatinho baixo, cabelo amarrado, resolve que não pode perder o show daquela banda que vai estar tocando naquele pub. E vai. "Mas só se for agora!" - Gritam em uníssono!
Só quer curtir o som e as lembranças com a amiga. Conversam bastante, dão risada. De repente, o moço tatuado do bar manda um bilhete com um número de telefone. Ou alguém segura seu braço quando está indo ao banheiro.
É assim que as coisas são. A gente se prepara para a festa, mas ela não acontece. A gente compra a roupa da moda para estar linda na hora, mas o cara dá o bolo no último minuto. A gente passa a pensar só no trabalho, começa a brilhar de um jeito diferente e alguém nota. Esquecemos que os homens existem e eles passam a correr atrás feito loucos.
Somente estando sozinhas é que aprendemos a nos conhecer. Somente nos conhecendo, aprendemos a nos amar. Só quem se ama, brilha. E só quem brilha chama a atenção. As estrelas só aparecem no céu depois que o dia se foi, e quase sempre estamos trancadas em casa e não as vemos. Ou estamos nos preparando para a tão sonhada noite. E nem lembramos de olhar para cima.

2 comentários:

Tahh Frechh disse...

Show!! Amei o texto!! XD
Bjxxx

Eduardo Dalla Costa disse...

Adoro seus textos, são claros e mostram a realidade nua e crua, sem exageros, mas com requinte de detalhes que nos faz pensar, seria isso a realidade ou onde começa a realidade e termina a fantasia, se é que tem fantasia.
bessos e mais uma vez um incansável parabéns.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails