quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Histórias de mulheres


Tenho uma amiga que só ela daria um livro de 1200 páginas com fonte 8. Ainda pretendo contar muitas de nossas histórias aqui, mas uma delas me foi revelada por ela a poucos dias, eu que achava que não tínhamos segredos. Mas ela sempre consegue me surpreender com mais uma história de seu passado, porque passamos alguns anos meio distantes, onde aconteceu muita coisa em sua vida.
Ela estava muito apertada de grana, não sabia mais o que fazer, então decidiu aceitar o convite de uma amiga dela e procurou uma cafetina. Decidiu fazer programa. Ou pelo menos tentou.
Chegando lá, a dona da casa ficou com seu telefone para contato, e os possíveis clientes escolhiam a menina para o programa por meio da cafetina, que as avisava pelo telefone.
O primeiro programa que pintou foi... seria cômico se não fosse trágico! A cafetina deu o endereço do cliente, que a tinha escolhido, e ela estava se dirigindo ao endereço dado. Era perto de seu apartamento, por sinal. Nisso, a mulher ligou e disse que o cliente havia mudado de ideia e escolhido outra menina.
Dias depois, por acaso, essa outra menina foi visitá-la e comentou que havia feito um programa no seu prédio... o seu primeiro "possível cliente" era seu vizinho de cima!!!
Havia também uma boate onde as meninas ficavam disponíveis para os clientes, sempre intermediadas pela tal mulher. Um homem puxou conversa com ela, e, como ela é boa de papo, começou a conversar. A cafetina apareceu e perguntou para o homem se ele iria fazer programa. Ela respondeu que estavam só conversando. A mulher disse "Pra conversar, são 50 reais." O homem pagou.
E volta e meia a mulher aparecia para saber se iam só conversar ou se o homem iria querer algo mais. "Pra mais meia hora de conversa, mais 50 reais." Até que o homem se decidiu e levou minha amiga para um dos quartos disponíveis. Transaram e voltaram para a boate, onde ficaram conversando. A mulher queria cobrar de novo para o homem continuar conversando.
Ele decidiu ir embora e deu o telefone dele para minha amiga. Quando a mulher viu o cartão na mão dela, tomou e encheu ela de lixo, dizendo que ela estava querendo lhe roubar clientes. E ela acabou não recebendo nada pelo "programa". Pior... tinha simpatizado com o cliente e transou porque ficou com vontade, mesmo.
Depois disso, desistiu. Viu que literalmente "não dava" para a coisa. Ela mesma sugeriu o nome para esse post... "Minha amiga que não conseguiu ser puta"!

4 comentários:

pontorouge disse...

Situação embaraçosa seria se ela tivesse feito o programa com o vizinho...
É, até para ser puta é preciso talento.

beijo rouge

Dani

Papo de Mulher disse...

Para mim ficou claro que ela tem muito talento, tanto o é, que o cliente pagou apenas para conversar com ela. Ela literalmente levou ele no papo. Considerando que ele poderia ter ido direto aos finalmente ela mostrou que tem competência. Só não tem vocação.

Nat Valarini disse...

Que loucura! o.Ô

É uma pena que ela tenha gostado do cara, mas não conseguiu ficar com o cartão com o número e tals, uhauahau...
Falando sério, ainda bem que (pelo visto) ela conseguiu sair do sufoco, se virar, sem precisar da prostituição, pois deve ver muito sofrido 'ganhar a vida' assim.
Acho que no final das contas, sempre há uma forma melhor de ganhar dinheiro, que não seja se expondo a tantos riscos, né?

Kisoj

Dr Fritz disse...

auhauahau de mais essa história! Pensei que ela iria casar com esse cara.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails