segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Desabafo


Quando decidi escrever este blog, inspirada no blog Mulherzinhas, estava em uma fase da vida um tanto insatisfeita, curiosa, carente de desafios, cansada da rotina, buscando algo mais, enfim... acho que é a tal fase da loba. Como a maioria das coisas que se passavam pela minha cabeça, e ainda passam, são coisas que a gente não admite às vezes nem para o espelho, decidi que seria um blog anônimo, ou coisa parecida.
Poucos leitores sabem minha verdadeira identidade, e hoje faço questão de que ninguém mais saiba. Uma característica minha é gostar de mistério, afinal. Isso gera curiosidade principalmente nos leitores homens, e atiçar essa curiosidade é um prazer para mim. Aos poucos que me revelei foi porque me identifiquei muito pessoalmente, e cultivo hoje amizades que apesar de serem virtuais são muito reais em minha vida.
O que mais me moveu desde o início foi contar minhas histórias do passado. Saudosismo puro. Nostalgia. Vontade de fazer o relógio parar e voltar para trás. Na minha idade a gente olha para trás e vê quantas oportunidades deixou escapar por pura imaturidade ou por falta de parar para pensar friamente. Às vezes também penso que me faltou uma presença masculina forte na infância, pois meu pai nunca esteve presente nem ligou a mínima para os filhos, e minha mãe sim, foi durona e criou sozinha dois filhos que hoje ainda estão com sequelas psicológicas...
E agora estou chegando ao fundo do poço. Enfeitei o blog com minhas memórias, com minhas histórias, com minhas ideias, com minha rebeldia e até com minha tristeza às vezes. Desabafei muito, #prontofalei várias vezes, chutei o balde, disse tudo que gostaria de poder dizer se não tivesse marido nem filha. Fui divertida, sacana, e acho que às vezes até útil. Só que agora isso não está me bastando, estou em um momento que quero escancarar na vida real a personagem que criei para extravasar.
Esses dias um leitor dos que conhecem a minha identidade verdadeira falou que eu estava precisando "cuidar um pouco da fulana". Que sou eu, e não a Mulher de 40. Retruquei que na verdade eu sou a Mulher de 40, só que em virtude da existência de um marido e de uma filha, eu não posso escancarar. E isso está me destruindo. Sempre odiei a hipocrisia, o fingimento, o viver para o que os outros vão pensar. E na verdade, me escondendo atrás de um pseudônimo, estou fugindo. É certo que estou me divertindo também, isso tudo para mim também é lazer, mas acima de tudo é uma terapia. O que estou postando agora são coisas que adoraria poder gritar bem alto.
E cheguei a um momento pessoal de ruptura. Estou prestes a romper com tudo. Mudar de cidade, de local de trabalho, talvez até me separar, criar um sofrimento enorme para duas pessoas que são parte definitiva na minha vida: minha filha e o pai dela. E estou com muito medo disso tudo. Muito medo mesmo. Muita dúvida. Sempre me virei sozinha. Sempre tive coragem. Minha mãe fala que quando eu quero uma coisa, ninguém me segura. Só que simplesmente estou com medo de estar querendo a coisa errada, depois de tanta cagada que já fiz na vida.
Meus amigos já cansaram de me ouvir falar e pesar tudo. Ninguém mais sabe o que me dizer. A decisão é minha. O que me salvará agora? Fechar os olhos e ir em frente, doa a quem doer, e buscar o que me faz feliz? Ou tentar repartir a dúvida? Ainda é tempo? Com dez anos menos eu não teria tantas dúvidas, com certeza. Acho que ter mais de 40 deixa as pernas da gente mais pesadas.

14 comentários:

Mulherzinhas disse...

NOssa, um desabafo mesmo...Precisando de amiga, to aqui! Sei como é isso...beijos

Ro disse...

Um dia olhei no espelho e não me vi.Vi minha mãe olhando pra mim.Mas peraí...Minha mãe é VElha...Chorei uma semana.
Tenho vontade de por no jornal:
"Mulher de 40 anos procura seu sonhos, seus planos, sua alegria, seus olhos brilhantes.Paga-se recompensa."

Carlos disse...

Oi, acompanho teu blog hà muito tempo, já faz parte do meu dia, não sei se tenho o direito de poder te dar conselhos, mas com certeza eu diria pra vc dar um tempo, se retirar do teu mundo, esvaziar tudo e analisar o que vc realmente quer... Vc não parece nenhuma louca impulsiva, então acho que vc ganharia tudo em se isolar um pouco e sim cuidar de vc, por mais que tenha que deixar de escrever aqui e isso faça com certeza várias pessoas tristes, nas quais eu me incluo... No mais, boa sorte pra tudo que vc fizer e quiser...

Mulher de 40 disse...

Carlos, você acertou na mosca... a vontade que tenho agora é justamente sumir! Mas infelizmente existem prazos burocráticos a cumprir no caso de transferência, que é o meu caso... estou pressionada de todos os lados, profissão, marido e filha, que é o que mais me dói.
A todo obrigada pelo carinho! Vale muito nessas horas...
Beijos

Marcio-SJP disse...

Grande Mulher de 40!
Não sei se vc mora no Oiapoque ou no Chui, Se vc é Verde ou Azul, não importa...o importante é que gostamos muito mesmo de seu blog, acho até que é um pouco do que cada um de seus leitores gostaria de ser e falar, exatamente o personagem que vc criou.

Quanto a vida real o que dizer? Cada um sabe aonde o calo aperta.

Mas eu sou enxerido, eu optei pelos filhos e hoje sou feliz. (pronto falei rsrsrs).

As fases mudam!

Beijos,
Marcio 4.0

Quessa disse...

Não creio que as dúvidas como as que você tem sejam exclusivas de quem tem mais de 40. Tampouco exclusivas das mulheres.
Mas sei que a vontade de meter o pé em tudo e ir vender côco na praia é bem frequente.
Uma coisa que aprendi é olhar adiante, na altura do horizonte, tentando ver o que tem atrás dessa montanha diante de nossos olhos. Às vezes funciona. Noutras, apenas sigo adiante...
Beijo!

Mulher de 40 disse...

Obrigada novamente, meus queridos amigos! Quessa, a montanha tá tão alta...
BJS

Religada disse...

Oi garota!

É a primeira vez que leio seu blog, e já de cara vi o quanto vc se expõe!
Mas achei bastante saudável, pois é uma maneira de se auto-analisar, lendo depois e refletindo sobre o que escreveu, que às vezes é mais claro quando compartilhamos com alguém. Não se discrimine por não se revelar e com isso se achar hipócrita ou coisa parecida... Falar, escrever, gritar, tudo isso faz bem. O que não faz bem é vc guardar estes sentimentos dentro de vc!
Quanto aos teus conflitos, é super normal esta dúvida existencial que vc está passando, somente aqueles que se analisam e querem evoluir admitem passar por isso, acredite!
Só não tome nenhuma atitude precipitada, aguarde, pondere...
Se vc tem certeza que ama as duas pessoas mais importantes da sua vida, uma das respostas vc já tem, vc é amada tbm, considere isso.
Vc está se sentindo presa as escolhas que um dia vc mesmo fez, e hj se pressiona quanto a estar no caminho certo, é isso??!
Vc está no caminho certo, só precisa aceitar que essa é a sua verdade e começar a desfrutar essa oportunidade com a mesma força que busca sua felicidade!
Depois que vc se aceita, tudo fica mais fácil e a graça volta a lhe sorrir.

Espero realmente que a sua tormenta passe!

BJO

disse...

Li teu blog algumas (poucas) vezes, e concordo com a pessoa a acima não acho que você é hipócrita por escerever aqui teus conflitos e não revelar tua identidade. Mulheres estão sempre na duvida em alguma coisa, isso tenha ela 40 ou 20 anos (como é o meu caso), tuas experiencias acabam ajudando muita gente que passa por algo parecido. Quanto a tua vontade de jogar tudo para o alto acho que você deve pensar em você, imagino que realmente deve ter 'n' coisas que pesam na tua decisão, ainda sim acho que deve seguir seu coração, e procurar o que te faz feliz acima de todas as coisas, sempre!!
boa sorte,
beeijo!

Anônimo disse...

Nossa,estou passando exatamente por essa fase.Esses dias até me aventurei e escrevi um texto pra desabafar .Difícil...

Ger disse...

Tenho 40 anos e me identifico muito com seu blog. Há cinco anos chutei o balde. Com dois filhos, deixei um casamento de 15 anos e infeliz para viver uma grande paixão. Não deu certo, mas não me arrependi de nada.


Bjs

Estellinha disse...

adorei, verdadeiro, demais, indico seu blog na minha rede social, ao vc 100000000000000, bjks

Anônimo disse...

Oi, estou com 40 anos, me sinto uma velha acabada, sem qualquer tipo de estímulo. Por favor, preciso de ajuda!

rita de cássia disse...

Eu tenho 48 anos e passei por maus bocados aos 40 anos. Sinceramente a crise começou aos 38 e aos 42 estava tão pesado, que eu me anulei. Tenho um livro de Yoga para mulheres de Linda Sparrowwe, que fala sobre como resolver vários problemas da mulher através de vários relatos e tem um sobre uma mulher de 40 anos no qual ela diz: "minha vida estava de cabeça para baixo, então eu literalmente fiquei de cabeça para baixo e as coisas começaram a ficar mais claras". Enfim é isto, não é uma questão de escancarar quem se é, mas de se autoafirmar enquanto ser humano. Boa sorte para vocês mulheres de 40!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails