segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Primeira vez no clube de swing!


"Bom, a história começa com o término do meu namoro de meio ano: morávamos juntos a 4 meses e já não tinha mais sexo; no começo acho que foi por minha culpa, não tinha tempo para quase nada, pois trabalhava e fazia faculdade.
Terminamos, voltei a morar com o meu irmão, sair sozinho e fazer amizade pelas baladas. Há muito tempo eu ouvia falar desses clubes de swing, mas, como todo adolescente, eu pensava que era entrar lá e transar com todo mundo hahaha... Mas não foi bem assim.
Conheci uma mulher, de seus 30 e poucos anos, loira, olhos claros, corpo escultural, casada. Ela me contou que ela e o marido eram adeptos dos famosos clubes de troca de casais, e como eu já tinha muita curiosidade sobre o assunto, conversamos sobre isso praticamente a noite inteira. Ela me contou que não é como toda pessoa pensa, uma putaria generalizada, mas sim um lugar onde é ainda mais difícil de se conseguir alguma coisa, porque o público que frequenta não é o mesmo ao qual estamos acostumados.
Depois disso, a cada dia que passava, eu ficava com mais vontade de conhecer um clube de swing. Pesquisei todos os que haviam em Curitiba, onde eu morava na época, até que achei um que ficava perto de casa, mas, para um homem solteiro, era muito caro - para um casal, o preço seria 1/3 do que um homem solteiro pagaria. E a coragem de chegar para alguma menina e dizer: "vamos conhecer um clube de swing?"
Então, em um final de semana que eu já não estava mais aguentando, acabei indo. A entrada era bem discreta. Com o coração quase pulando para fora, entrei. Era um ambiente à meia luz, parecia mesmo uma balada, a diferença é que dessa vez não tinha música eletrônica, e sim um grupo de Jazz. Vi poucas pessoas por lá, e a cada vez que alguém cruzava os olhares comigo meu coração acelerava, parecia que ia fazer sexo pela primeira vez.
Sentei em uma mesa e pedi uma bebida; depois de passados uns 30 minutos, o lugar começou a encher de pessoas. Então me levantei e fui sentar no bar. Quando eu já estava quase pronto para ir embora, senta uma mulher ao meu lado, muito atraente, com uma pele branca linda, cabelos lisos e escuros, olhos castanhos bem escuros também, magra, usando um vestido preto. Eu não conseguia parar de olhar para ela, mas logo ela percebeu e me olhou. Meu nervosismo naquele lugar estava demais, então apenas desviei o olhar, parecia um garotinho do jardim de infância hahaha.
Depois de alguns segundos, senti uma mão no meu ombro, e ela falou:
- É a primeira vez que você vem aqui, não é!?
Tentei olhar para ela sem parecer encabulado, mas sem sucesso, e disse:
- Está tão na cara assim?
- Hahaha, não se preocupe, ninguém aqui vai te morder, a não ser que você queira!
Então ela sentou mais perto e começou a conversar comigo. Consegui relaxar depois de algum tempo. Quando achei que tudo estava bem, outra mulher se junta a nós, morena também, com algumas sardinhas no rosto, com um pouco mais de corpo que a primeira, e praticamente da mesma altura que ela. Então eu ouço a frase que me fez arrepiar inteiro...
- Deixe-me apresentar vocês: Eric, essa é a minha namorada!
Na hora, eu já não sabia se aquilo era bom ou ruim, se eu ficava mais nervoso ainda ou apenas aliviado. Mas sem demora a que já estava falando comigo perguntou para a outra:
- Pode ser ele mesmo, amor?
Essa apenas balançou a cabeça positivamente, e isso para alguém com seus 19/20 anos como eu, era um tanto intimidador. A menina que já estava comigo colocou a mão por cima de mim, abriu um sorriso e falou: - Vamos?
Antes de falar qualquer coisa eu já estava sendo levado por aquele lugar. Havia mais de um ambiente, um lugar onde várias pessoas estavam fazendo sexo, alguns casais juntos, outros apenas olhando. Havia quartos por lá também, e fomos para um deles. Lá, a mulher que quase não havia falado nada, começou a falar... Dizia para eu relaxar, não ficar tão nervoso, que elas sabiam como era ir pela primeira vez em um clube de swing, mas ainda me achava meio doidinho por ir assim sozinho, e esse foi um dos principais motivos delas terem se interessado por mim.
Quando ela terminou de falar isso, se aproximou de mim e me deu um beijo. Esse tempo todo eu estava com medo, porém muito excitado; no meio do beijo, a namorada dela estava desabotoando minhas calças e começou a me chupar. A que estava me beijando abaixou e elas começaram a se beijar, aquilo me fez subir pelas paredes. O beijo foi rápido, e as duas começaram a me chupar, realmente nunca me senti tão excitado em toda a minha vida. Era tudo novo e tudo tão delicioso, queria aproveitar cada detalhe.
Depois elas foram para a cama, uma deitou de costas e abriu as pernas, enquanto a outra se aproximava dela de quatro para chupá-la, eu fiquei olhando por um tempo e me juntei a elas, comecei a chupar a que estava de quatro, com muito gosto e muita vontade, eu não queria sair dali tão cedo... ou será que queria? A que estava deitada, me puxou para o lado dela e falou: "agora nós vamos tomar conta de você" discutir isso eu não poderia não é? rs
Deitado na cama, ela sentou em cima de mim, toda molhada ainda, enquanto a outra sentou bem na minha cara, entre nós, era perfeito demais! E assim foi a noite toda, não me lembro perfeitamente com detalhes por que faz quase dois anos isso. Essa foi uma das melhores experiências da minha vida.
Hoje em dia eu voltei a morar na minha antiga cidade que é Marília, mas sempre que vou para Curitiba, podem apostar que estarei em um clube de swing!"
(Essa história nos foi presenteada pelo leitor @EricTakayama )

11 comentários:

Anônimo disse...

Adorei o texto, interessante a história.
Já passei por algo pareçido, mas nao era em clube de swings.
Estava em uma festa de formatura, conheci uma morena, muito bonita, na faixa dos 25 anos, eu com 17. Começamos a dançar e conversar, o ritmo do momento era funk. Bem propicio né? até que ela começou a flertar comigo. tudo normal até na hora que ela me chamou no canto e apresentou o marido dela. |Tremi. achei que ia apanhar , porque o cara era um baita moreno de quase 2 metros. Que nada, ele era mais sem vergonha que tudo, me chamou pra participar de uma " festinha " que ia rolar após essa festa. Discaradamente, ele me disse: " se vc nao quiser ficar com ela na minha frente, pode ficar comigo na frente dela, a gente nao se importa com isso, só vai depender do que vc quiser fazer, a escolha é sua". Na hora confesso que fiquei pasmo, nunca tinha passado por aquilo,. educamente desconversei e deixei a proposta no ar. Na hora eu não tive coragem de fazer nada, era formatura de uma prima, minha familia toda estava lá,. usei isso de desculpa, peguei o tel deles e prometi ligar. Nunca liguei.

Anônimo disse...

Muito boa essa historia mesmo e esclarecedora, eu sou uma das pessoas que, como vc, pensava que casa de swing fosse o tipo da putaria rolando solta.. mas vi agora q n eh bem isso, a putaria so rola mas não tão solta assim ;D hahaha

Mulher de 40 disse...

Acho que "putaria" bem pior é sair com um imbecil que não te come direito e no outro dia te trata como lixo. Mulheres e homens têm direito de curtir sua sexualidade das mais variadas formas possíveis, e assumidamente. Agora, é preciso ter uma cabeça muito boa para isso, porque preconceito não combina com prazer!!
Beijos e obrigada pelos comentários!

Mulherzinhas disse...

Interessante a história e eu continuo com o mesmo pensamento de sempre: Não tenho nenhuma vontade d conhecer um clube desses. Prefiro o relacionamento a dois e de preferência com sentimento.

Bjinhos

Keliane disse...

Eric seu sortudo!!!!!!!!!! De cara já se dando bem e com histórias para nos contar. Continue assim. kkk

Véia disse...

Nossa só paguei mico, desde ataque de riso fora de hora, até tombo na escada.... affffff...

megaman x world disse...

inspirador takay muito inspirador,swing n é nenhuma putaria,apenas uma experiência mais caliente e digamos exótica de relaçoes sexuais "^^"

Casal Liberal disse...

Adoramos o meio liberal, em especial a prática do menage masculino.
Tudo rola com muito erotismo, sensualidade e cumpricidade entre nós e o convidado.
Acabando as brincadeiras, tudo volta ao normal em nossas vidas, sem afetar o nosso relacionamento amorozo.
Quantos casais não gostariam de sere assim?

Anônimo disse...

Hoje estou na faixa dos 60 e minha companheira nos 40 e desde 15 atrás temos conversado sobre isso, confesso que é uma tentação. Nossa idéia é conhecer uma casa dessas fora de nosso município e a partir daí vermos como a coisa se encaminha. Mas me encanta essa idéia do swing.

Casal Balada Liberal disse...

A primeira vez em um clube de swing a gente nunca esqueçe... é realmente algo muito excitante.
A gente fica meio perdito em meio a tantas emoções e seduções.
Adoramos e continuamos a frequentar.
Bjs

Anônimo disse...

Puts eu e minha esposa estamos completando 10 anos de casados e queríamos conhecer uma casa dessas mas por curiosidade mesmo.... não tenho sangue pra ver minha esposa transar com outro e nem queremos isso,a intenção é conhecer para apimentar mais nosso casamento , alguém pode indicar uma casa legal para quem ainda não conhece uma casa dessas, Valeu e boa noite

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails