terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Filhas de pais separados


Como ando me questionando muito sobre casamento e separação, sempre penso na minha filha no meio disso tudo. Eu sou filha de pais separados desde os 11 anos. Minha história foi bem diferente, em resumo, meu pai incomodava muito a todos nós e eu pedia para minha mãe se separar. Na época, ela tinha muito receio principalmente por nós.. que seríamos rotulados de "filhos de pais separados". E, na época, mulher separada era quase sinônimo de puta.
Quando me separei do meu primeiro marido, não era muito diferente. Cidade pequena, rótulos. "Mas teu ex deve estar sofrendo muito, né... ele gostava de ti..." Como se para mim fosse fácil. Só que não fiquei em casa como uma viúva, que era o que as pessoas esperavam de mim, simplesmente caí na gandaia, tinha muito tempo perdido para recuperar. Saía muito para dançar com minhas amigas, mas acabei adquirindo vários rótulos: vagabunda, lésbica, aidética... enfim. Porque eu fazia o que muitas invejavam, me rotulavam.
Não é de nada disso que tenho medo quando penso em minha filha. Até porque ela está sendo criada por uma mãe que não é muito convencional, vamos dizer assim... E já tenho contado para ela algumas coisas que eu fiz, as coisas que penso, e nós não somos uma família muito convencional, afinal. Sinto que ela me admira e se espelha em mim, o que é normal nas meninas. E isso é uma responsabilidade muito grande! Mas acho que tenho acertado mais do que tenho errado, como mãe, e ela se mostra bem independente quando necessário.
Porém, noto algumas diferenças entre filhas de pais separados e filhas de pais casados. Eu mesma amadureci muito cedo. Aos 11 anos, já me sentia uma adulta e não gostava mais de brincadeiras de meninas. Deixei as bonecas de lado para brincar com "bonecos" rsrsrs... E gostava de conversar com os adultos. E já escrevia.
Tenho amigas separadas com filhas que parecem moças já e têm a mesma idade da minha filha, que é bem criançona. Adora se fazer de bebê e vir para o meu colo fazendo de conta que está mamando - ela mamou até pouco mais de um ano no peito, e parece que ambas guardamos lembranças muito boas disso! Mas às vezes penso que ela, com pai e mãe dentro de casa, é mais protegida que as outras. Talvez o pai seja um pouco superprotetor. Eu já sou mais durona, porque sei que a vida é mais dura ainda.
Realmente, filhos de pais separados parecem amadurecer mais cedo. As mães relatam essas mudanças após uma separação, em qualquer idade.
"Ao decidir se separar, o casal tem de buscar toda a maturidade possível para encaminhar bem a reação dos filhos à nova fase que se inicia. E, por mais que os pais sejam cuidadosos, a rotina muda. Bebês ficam agitados, crianças pequenas voltam a fazer xixi na cama e crianças crescidas passam a dar problemas na escola. Mas, bola pra frente. Separação não é só drama: se a decisão aconteceu, ajudar os filhos a encarar a nova fase será importante para todos." (Revista Crescer)
Sei que tenho segurança suficiente para explicar uma situação assim para ela. Que, uma vez tomada a decisão, será mais fácil expor as coisas. Mas tenho medo de provocar um sofrimento que, sei, será inevitável. Mãe é mãe, sempre, e sempre se pergunta se está fazendo a coisa certa. Sei também que tenho que estar feliz para ajudar minha filha a ser feliz, a buscar a sua felicidade. A única coisa que realmente ainda fico me perguntando é até que ponto se deve preservar uma família unicamente em função de boas recordações?
A velha história... "-É... não deu certo... Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores." Deu muito certo. Foi lindo. Mas acabou. Deveria tentar de novo? Será que amor tem recomeço? Ou será que as pessoas devem recomeçar suas vidas sem olhar para trás?
Como sempre, um post que deixa várias perguntas no ar. Como sempre, esse blog é minha terapia. Minha autoanálise. Mas sei que em breve terei as respostas para essas perguntas, e então terei novas perguntas.
Beijos!

7 comentários:

Anônimo disse...

filhos...esse assunto sempre gera polêmicas.às vezes passamos a vida toda infelizes por causa dos filhos, para não desfazer a família, mas manter uma fachada não engana.assim como vc, sou separada vivo outro casamento.minha vida era uma droga e minha infelicidade era visível...sempre prá baixo...até q um dia, parei prá pensar se era essa visão de casamento q eu queria q meus filhos tivessem. não , não era. eu tbm não sou lá muito convencional..chutei o balde.
meus filhos moram com o pai, eu moro em outra cidade, nos afastamos.e dói, sabe? mãe é mãe...tb me chamam de td q vc imaginar, mas é a vida.espero q um dia eles me vejam como uma mulher corajosa, q resolveu lutar por ser feliz, mas sei q vai demorar.eles não foram abandonados, espero morar perto deles algum dia.

Anônimo disse...

bom e bem interessante,meus pais foram separados ,me casei pela primeira vez me separei,me casei pela segunda vez tbem me separei,achu ate que possa ser por não ter tanta tolerancia,como minha mãe teve ate decidir se separar do meu pai,pq ela queria os filhos um pouco mais adultos para não sofrer tanto em fim,me separei por 2 vzs e não me arrependo de forma alguma,crio meus filhos com todo amor,e se me casace pela 3 vzs e não estiver feliz ,recomeço tudo novamente,relacionamente tem que ter um bom equilibrio ,ainda pra nos mulher ,sofrer e fingir que esta feliz não vira

Solange disse...

Pois olha...Tenho quase 40 e sou mãe de 3 filhos,de 14,9 e 6 anos.Não acredito realmente que devamos manter um casamento por causa dos filhos,pois eles crescem,seguem seu caminho e quando olhamos para o lado só resta aquela pessoa que a muito tempo não amamos mais.Mas por outro lado não me vejo arrumando outro,separando e deixando tudo pra trás (filhos).Ainda prefiro fazer um passo a passo do tipo:Arrumar um emprego e separar ficando com as crianças,pois meu marido nunca foi um pai presente na vida deles.Não confiaria nem uma tartaruga à ele,muito menos os 3.E logo eles crescem,criam asas e se vão (asssim espero),e terei tempo só pra mim.
Na verdade é uma decisão bem difícil,mas os filhos superam...são mais fortes do que supomos.
Beijão!

Leonardo Amaral disse...

Acho que não preciso nem reafirmar sobre o quão são privilegiados os filhos de pais separados. Minha mãe literalmente foi mãe solteira, apesar de todos os problemas e acho que muito da minha formação vem disso. Muitas mães ainda acham que a separação é um fardo na vida dos filhos: E é. Um fardo que você pode carregar logo cedo ou um que você VAI SER OBRIGADO a amadurecer mais dia, menos dia. Esperar esse amadurecimento quando casar é praticamente receita pra você dançar o relacionamento logo de cara, e isso é válido para trabalhos, amizades, etc.

O ponto que eu queria levantar mesmo é:

A velha história... "-É... não deu certo... Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores." Deu muito certo. Foi lindo. Mas acabou. Deveria tentar de novo? Será que amor tem recomeço? Ou será que as pessoas devem recomeçar suas vidas sem olhar para trás?

Quem faz a vida da gente é a gente mesmo e mais nada no mundo. A gente é influenciado por diversos fatos que não podemos prever, mas a diferença toda está no que vamos fazer com eles, e ai sim podemos dizer que "nós mandamos no nosso mundo". Por consequência não é difícil ver que não existe determinismo. Devia tentar, tem recomeço e outras perguntas afim não tem resposta porque as coisas mudam. Achar que seu ex não pode mudar é achar que VOCÊ mesmo não pode mudar. Se você acha que pode crescer, entenda que isso se estende a todos. Pode ser que seu ex te ame? Sim. Pode ser que ele seja um Q.I de ameba o resto da encarnação? Sim! Mas pode ser que ele mude e você também? Sim. Não seja determinista e não responda estas perguntas. Avalie sempre as coisas como novas. Não veja seu ex como ex, mas sim como o que ele é hoje - sem desprezar o conhecimento prévio. E aja para tal.

DriPaulo disse...

Oii querida!

Me separei duas vezes do mesmo marido! A tal Nova Chance, filhos e tal.... posso garantir... não tem amor... não vai durar mesmo....dei uma chance de mais 5 anos... e me decepcionei...(tortura) ninguém merece

Aos 35 anos, me vi novamente tento de recomeçar... mas se nao fosse naquela hora qdo seria aos 40, 50? Não podia mais perder tempo p tentar ser feliz. Encontrar alguém que pudesse me completar e me amar novamente ser amado por mim...

Pais infelizes respingam infelicidade nos filhos e de nada vale uma família falida a meu ver.

Tbm sou filha de pais separdos desde os meus 8 anos... e entendo muito doque relatou aqui ...

Ja vivi outro relacionamento ... não deu certo ... olhamos novamente p tras ... será que vale?

Acho que não!


BEIJO p VC

Anônimo disse...

OI,eu estou passando por isso agora, vivi um casamento de 15 anos, nós nos davamos bem mas eu não o amava, levei por um bom tempo por covardia, muito medo de fazer meus filhos sofrerem, dele (meu ex) sofrer, de tudo, até q tomei coragem e falei pra ele o q se passava no meu coração, nós tentamos ficar juntos mais um ano, por fim vimos q não dava mais, e nos separamos na boa, e nossos filhos levaram essa separação bem, ate pq eu e ele (o meu ex) estamos bem um com o outro, mas até eu tomar essa decisão eu sofri muito e ainda sofro me perguntando se eu não fui egoista, acho q e pq tem pouco tempo q me separei. mais talvez agente faz um bicho de sete cabeça, ate se colocar de frente pra situação e ver q a coisa não é ipossivel assim e é mais facil do q se imagina.

Curiosa disse...

eu fui casada dez anos e mesmo assim encarei comentários pessimistas como esse de 'porque não de certo?' ... poxa! deu certíssimo! como assim? gerou frutos maravilhosos, inclusive ...

no mais, a minha filhota de 16 anos está lindamente saudável ... e foi morar com o pai mês passado ... e a casa está vazia aqui ... e eu choro diariamente (ou noturnamente) mas ela está bem .. isso que importa ... ;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails