quarta-feira, 2 de junho de 2010

Antidepressivos: por quê?

Tenho uma "saga" com depressão, síndrome do pânico, transtorno de humor e antidepressivos desde os 20 anos, quando comecei a sofrer de insônia. Evitei muito tempo tomar remédios, achava horrível apelar para isso. Um dia, não aguentei mais e cedi. Meu ginecologista decidiu me receitar fluoxetina, o famoso Prozac.
Talvez por uma tendência genética, somada a uma afinidade pela solidão, eu tenha desde então alternado minha vida entre bons e maus momentos. E entre "tomando" e "fugindo" dos comprimidos. Tive até depressão gestacional, mal que, só descobri hoje, assola cerca de 30% das gestantes. Depois da primeira crise de pânico, já experimentei de tudo um pouco, acho que fui cobaia de um psiquiatra mais louco que seus pacientes.
O fato é que a vida de todo mundo tem altos e baixos, são ciclos pelos quais a gente passa desde que a nossa expectativa média de vida subiu de 40 para 70 e poucos anos... Quando se vivia pouco, pouco tempo sobrava para pensar, e a vida era bem mais simples, rápida e rústica. Agora temos milhares de coisas para escolher, trocamos de profissão ao longo da vida, trocamos de marido/esposa, trocamos de sexualidade, deixamos de ser filhos e filhas para sermos pais e mães, avôs e avós, tios e tias... Não é justo me tacharem de "transtornada" por ser um pouco mais instável que os outros, talvez eu seja na verdade um pouco mais transparente ao demonstrar minha fragilidade sendo imprevisível.
O que me parece é que sempre que as pessoas estão infelizes e insatisfeitas com suas vidas, alguém acaba lhes convencendo de que é depressão. Eu sei que estou infeliz, e isso me deprime. E estar deprimida me rouba a coragem de mudar. E fico mais infeliz ainda não mudando. É uma bola de neve.
Resolvi procurar mais gente como eu, o que é mais fácil do que encontrar quem não tome algum tipo de antidepressivo, hoje em dia. Felizes os que não precisam. Embora eu saiba que a medicina e a indústria farmacêutica tenham banalizado o seu uso, por comodidade e lucro, o certo é que somos o que se poderia chamar de "civilização perdida"... muito não sabem por que estão aqui, para onde vão, nem onde estão... Eu gostaria de me achar, e receio que tenha que procurar pela quarta ou quinta vez a ajuda de psicoterapeutas. Ou quem sabe criar coragem para admitir quem eu realmente sou, para mim mesma e para os outros, que estão esperando que eu não seja mesmo aquela louca que surta de vez em quando.
Antes de dar voz aos outros, vou comentar o que disse uma amiga certo dia, quando eu contava a ela que, na internet, me relacionava com pessoas que têm os mesmos problemas que eu: ela disse que assim ficamos todos rodeando a mesma questão, sem querer sair dela, talvez até fermentando a tristeza que nos invade. Será que deveríamos parar de falar tanto de nossos problemas e passar a conviver com pessoas mais otimistas? Acho que sim - e gente depressiva é muito chata, mesmo.
Afinal, já descobriram até que os Alcoólicos Anônimos não estão mais dando certo... as pessoas estão saindo de suas sessões piores do que entram, e de tanto escutar histórias tristes vão para um bar encher a cara e esquecer.
Depoimentos femininos
[1] "Há 6 anos atras tive minha primeira crise de pânico, tinha passado por momentos de grandes perdas na familia; fui tratada com terapia e medicação. Na época tomei zoloft, rivotril, depakote e dormonid. Foi mais de 1 ano de tratamento. Depois de mais ou menos ano e meio me senti segura e resolvi dar um basta nos remédios, fiquei apenas com dormonid. O que aconteceu é que um ano depois de ter parado com a medicação eu tive nova crise e dela ainda não saí... Tem dois anos que me trato com psiquiatra e terapeuta, já mudei diversas vezes a medicação, tentando achar uma que me deixe bem, mas até agora nada."
"Tem sido uma luta diária comigo mesma, mudar padrões de pensamentos que construímos ao longo de anos, não é fácil, mas tenho fé que saio dessa!"
[2] "Eu tomei antidepressivos por um ano e estimulantes também ... foi horrível ..."
[3] "Eu fiz o tratamento com fluoxetina há 3 anos atrás: muitas coisas ruins aconteceram e eu me senti completamente cansada e triste. Eu não estava bem no trabalho, havia perdido minha mãe e rompido um relacionamento. Estava péssima. O tratamento não deu certo, ao invés de melhorar, senti piorar meu quadro, então mudaram a medicação para clomipramina. Os efeitos colaterais: meus dentes ficaram frágeis. Senti vontade de comer doces, e sono. Minha atenção ao caminhar nas ruas ficou alterada. Passei por consultas de rotina e fui melhorando. O apoio da família e dos amigos foi fundamental para o sucesso do tratamento. Logo fiquei boa.
Porém eu descobri que minha profissão me deixava infeliz e decidi, após conversar com o psiquiatra, deixá-la... Hoje me sinto leve, não tenho mais o cansaço e a tristeza. Fiz novos amigos, procurei ajuda divina e estou bem.
Eu não podia entrar em lugares fechados que ficava sem ar. Eu não tinha luz no rosto... não tinha idéias, não tinha esperança. O remédio diminui a ansiedade e a tristeza, porém também tira a capacidade de sentir, de viver, de provar um doce gostoso... Em momento de crise aguda, aconselho a pessoa realmente procurar um médico e tomar o remédio direitinho. Mas assim que possível, procurar outras alternativas. As duas palavras mais importantes que aprendi depois deste tormento: love e delete."
Depoimento masculino:
[4] "Eu também tomo antidepressivo e estou com perda significativa da libido, ISSO MUITO ME PREOCUPA!!!!! Eu tomo há anos e só há pouco tempo isso está acontecendo, falta tesão... E eu sempre fui muito ativo sexualmente. Tomo remédio há muitos anos; os antidepressivos retardam a ejaculação, ou seja, o gozo, masculino e feminino... demora e às vezes é bom demais, eu gosto de demorar para gozar, a não ser que não valha a pena... mas é isso mesmo, atua no sistema nervoso autônomo."
"Tomo há anos o PONDERA - Cloridrato de Paroxetina. Todos os antidepressivos possuem o efeito indesejável de reduzir a libido. O retardamento de ejaculação também é efeito colateral."
E tem mais isso: o medicamento que foi apelidado de "pílula da felicidade" acaba nos roubando o prazer de viver. Porque tomando antidepressivos nada tem gosto, a comida que você mais gosta não tem sabor, os hobbies que você mais ama são deixados de lado, o sexo deixa de existir em nossos pensamentos. Você se torna um vegetal. Tudo em nome da calma e da "normalidade".
Pronto, desabafamos. Agora... mais um comprimido de sertralina ou rivotril, por favor? (rsrsr) Tenho certeza de que você, que leu até aqui, toma algum dos remédios citados acima; se não toma, conhece alguém bem próximo que toma. Ou você mora em outro planeta?

26 comentários:

Natália disse...

Adorei o texto, me empolgou a escrever um no estilo tbm, afinal estou passando por problema,s não tomo anti-depressivos, mas tomo remedios, não remedios que me receitaram, remedios que julgo me dar sono, e com esse sono adormecer e esquecer por alguns instantes que estou viva, que tenho problemas que preciso de ajuda. Procurei ajuda faz uma semana, minha vida estava andando de ponta cabeça, ainda está, estou indo na psicologa, uma sessão por semana não era o bastante, passarei a ter duas, ontem, me entupi com remedios mais uma vez, tomei até um para animais, bom, e pra que isso? Pra esquecer, pra tentar de uma vez sumir, sei que abandonar o jogo, tentar fugir desse sistema é covardia, e creio eu que logo isso vai mudar, mas enquanto naum muda, me dói, me corrói, e sei que machuca quem em minha volta esta...
Mas então, todos temos problemas, todos passamos por dificuldades, todos sofremos, mas precisamos tentar, tentar, aguentar! Ficar ali, persistir, e se fracassar, tentar de novo, uma hora a vitória vem, e comcerteza será boa, ótima, será merecida, porque voc lutou por isso! Porque vc mostrou que é mais forte do que problemas, do que muitas coisas... Do que vc mesmo imaginava que podia ser.


http://bloggitando.blogspot.com

Mulher de 40 disse...

"esquecer por alguns instantes que estou viva, que tenho problemas que preciso de ajuda" resume tudoo que sinto também.
"Eu vou pagar a conta do analista, pra nunca mais ter que saber quem eu sou..." também diz tudo...
Tenho uma filha maravilhosa, é tudo que me segura, senão sinceramente não sei aonde estaria a uma hora dessas... talvez fosse ser missionária em Darfur, uma maneira bonita de morrer...

MALÚ GAUCHA disse...

Sofri uma queda ha tempos atraz,bati c/ a cabeça no asfalto, no hospital fizeram um rx q deu normal....como tinha dor de cabeça frequentes, consultei um neuro, q pediu uma tomo q deu normal....como a dor de cabeça continuava, a neuro(troquei agora é uma neuro) disse q eu estava c/ depressaõ,,,prescreveu, TOFRANIL, 10MG..POR 6 MESES, ESTOU ME SENTINDO ESTRANHA, SEM EMOÇAÕ, SEM VONTADE DE IR NOS BAILINHOS DE TERCEIRA IDADE,, CABEÇA CONTINUA DOENDO, parei por conta, sei lá vou ver oque acontece...vou voltar a consulta , mas naõ quero mais tomar anti depressivos.....ufaaa desabafei... obg bjus MALU

logotiposbrasil disse...

Olá,

Creio que cada pessoa possui uma constatação diferente quando o assunto é depressão/medicamentos.
No meu caso, por exemplo, a história é até engraçada. Eu não queria saber de sexo, da vida, nem trabalhar direito. Tudo era um verdadeiro martírio. Estava realmente desesperado e a beira de um ataque de nervos.

comecei a tomar o Reconter. e gente...não é propaganda do medicamento não, mas minha esposa adorou!

Consegui recuperar o equilíbrio mental, quintupliquei o relaxamento e sinto vontade de transar TODOS os dias. Hoje eu já consigo fazer planos para a vida, o que há 30 dias atras, me parecia impossível.

Meu conselho para as pessoas é o seguinte: não procurem problemas onde eles não existem.
Se realmente se encontrar em uma situação depressiva e vir a tomar um medicamento, a maioria dos efeitos colaterais desaparece com algumas semanas.

Eu troquei o desespero, pela felicidade, a falta de fé na vida por uma energia radiante que ilumina a tudo a minha volta.
A indiferença e apatia pelo que estava ao meu redor, por força e alegria. E posso garantir que não é efeito placebo.

Se necessário, procurem um outro psiquiatra, enfim, busquem ajuda. vale a pena.

E esse é o depoimento de uma pessoa que há pouco tempo só pensava em suicídio.

Anônimo disse...

Estou tomando reconter10mg vc tbm? Continua em tratamento?

Anônimo disse...

Minha psiquiatra me passou reconter de 10 mg antes do almoço e queropax antes d dormir . O q vcs axam? Ainda nao comecei a tomar.

Anônimo disse...

eu tomo anti depressvo ja faz uns 3 anos.mas a libido acabou.não consigo chegar ao orgasmo nunca...agora quero tentar tomar um que nao tire a libido assim mas ja andei pesquisando é muito caro para o meu orçamento. vcs que tomam antidepressivos sabem de algum q nao seja tão caro???

Anônimo disse...

Começei Reconter esta semana. Antes tomei Sertralina, por 3 anos.

A dica do meu psiquiatra para não afetar a libido é tomar á noite, depois de transar, antes de dormir mesmo, pois o efeito maior é logo após tomar, diminuindo ao longo do dia e chegando em níveis mínimos na noite seguinte, e assim, afetando menos a relação sexual. Perguntei se era assim tão rápido, ele disse que sim. Se vc sabe o dia que vai transar (parceiro em outra cidade, etc), pode não tomar um dia antes e tomar após a transa. Nesse caso vc terá ficado 48 sem o remédio.
Dica confiável... meu psiq é um dos melhores de São Paulo.

Boa sorte! :)

Clê disse...

Eu já tomei e para mim foi muito bom. Fui abandonando aos poucos, acho que por isso não senti tanto, mas paguei o preço: minha memória virou geléia...Não quero tomar remédio nunca mais.As vezes sinto que vou ter uma recaída, que a depressão está voltando. O que me segura (e sem medicamentos)é a atividade física.Vou a pé para o trabalho, acordo cedo para correr e o melhor: coloco uma música alegre e danço, danço até esquecer onde estou! Tem dado certo e espero nunca mais voltar aos medicamentos!

Anônimo disse...

Olá,
Estou lendo os comentários e começo a refletir, será que eu estou menosprezando meus sentimentos, acho que estou sim com depressão!. Não tenho nenhum problema com medicamentos, porém a minha indisposição é tão grande que não busquei ajuda médica até hoje, e meus sintomas já duram uns 2 anos, agora estou tendo consequências gravíssimas, pois já deveria ter me formado, e este é o último ano que terei possibilidade de receber meu diploma, mas devido aos sentimentos de tristeza, vergonha, frustação, desânimo...não consigo ter atitude e ir atrás e fazer as disciplinas que faltam, assim vejo os meses passando, e eu ficando cada dia mais para trás, me afastando dos amigos, da família e do namorado. Tá difícil...muito difícil!!!

Abc.
Dani.

Anônimo disse...

Faltou um item importante nesses comentarios. O reconter aliado a presença de Deus nos prepara melhor para enfrentar os problemas diários que nos leva à indesejável depressão. Creio eu que sem fé nada dá certo e eu não sou fanática, apenas nos momentos d solidão, incertezas e angústia foi o que me ajudou. E o meu objetivo com este depoimento é de ajudar pessoas que encontrem neste estado tão sofrido cruel, como um câncer espiritual.



Rose marinho prado disse...

O Reconter dá muito sono. No começo ele funciona bem, ao menos p mim. [É capaz de nos arrancar nas tumbas da depressão . No meu caso foi a morte da minha mãe.
Ocorre que depois ele vai dando sono, sono. Vou parar. E nem falar como psiquiatra que lógico vai dizer p não parar. Vou diminuindo aos poucos e começar a caminhar feito louca.
Acho que estou bem. Mas de nada adianta ficar alegre e com sono.
Os psiquiatras parecem pouco interessados na nossa vida. São bem mecânicos. A grande maioria é assim.
Valeria a pena um movimento ou discussão que reivindicasse mais postura por parte deles.

Sílvia disse...

Há 4 dias estou tomando RECONTER. É a primeira vez que tomo antidepresivos. Sempre tive uma certa depressão que se intensifica a cada desilusão que levo na vida. Eu achava que podia dar conta de me recuperar sem precisar de ajuda médica, mas na minha última queda, resolvi consultar um psiquiatra.
Até agora, as únicas diferenças que notei foram a diminuição da vontade de chorar (cada vez que lembrava do problema caia no choro) e a falta de apetite. Mas a tristeza ainda não me abandonou, parece que está ficando maior. Segundo li na bula do remédio essa sensação passará em alguns dias. Assim espero.
Quero, que em 30 dias, eu fique alegre como o nosso amigo anteriormente descreveu.
E, Antônio, concordo com o que vc escreveu, precisamos de uma ajuda espiritual também.
Voltarei em breve para relatar minha experiência com o Reconter.
Abraços

Anônimo disse...

Comecei tomar reconter Tbm ,tenho arritimia mas como sou muito ansiosa e explosiva meu cardiologista mandou q eu tomasse meio comprimido de reconter nos primeiros três dias,tomei estou super tranquila até meu marido ja notou a diferença mas estou com medo de continuar a tomar pois meu coraçao voltou a acelerar de novo. Pois além do reconter tomo ritmonorm para coraçao e tenho medo de morrer .

Anônimo disse...

Obg!

Anônimo disse...

Gente...fui no psiquiatra essa semana, só pra conversar mesmo sobre a duficuldade que eu estou tendo para enfrentar a luta que minha mãe está travando contra um câncer, e uma série de complicações de mais de um mês de internação .

Ele me mandou tomar Reconter de manhã, e Fluxtar a noite...


Confesso q estou meio assustada, preferi pesquisar sobre eles antes de tomar.Algum de vcs tomou, ou conhece alguém q tenha tomado os dois ao mesmo tempo??????


Desde já obrigada pela ajuda!!!
Gostei mto do blog!!!!


Anônima do Rio

Anônimo disse...

Estou tomando Reconter há 10 dias, o sono é enlouquecedor. Ainda estou na dose de 5mg, preocupa-me a mudança para 10mg. Irei dormir em pé? Nos pontos positivos, sinto mais vontade de trabalhar, planejar, sair do modo triste e automático. Mando novos comentários após maior experiência.

Anônimo disse...

Oi gente boa tarde eu tbm.sofro com ansiedade e panico...fui ao psiquiatra,me receitou,,,ansitec.nao gostei abandonei,eu usoo rivotril,agora o neurologista me receitou reconter,e tupiramato mas eu tenho medo dos efeitos,me ajudem...alguem ja tomou um desses medicamentos

Anônimo disse...

Eu tomo, desde 2008, mirtazapina, alprazolam, paroxetina e amilsuprida. Combinação bomba, mas a única coisa que me permite ter uma vida minimamente normal. Diagnóstico? Já ouvi muitos, desde depressão até transtorno de personalidade. Líbido? 10%..mas tive que optar. Ou uma vida que me permite trabalhar, sociabilizar, etc, ou vontade de sexo entre crises de agonia e histerismo (isto bem resumidinho).
Há patologias que não dá mesmo para fugir dos químicos. Ou se acaba com a própria vida, e com a de quem nos rodeia.

Elizabete S. Macedo disse...

Olá gente!!! Resolvi dar meu relato sobre minha vida. Uma pessoa sempre alegre apesar dos problemas, sempre otimista e com muita fé e que participava muito da igreja. Depois da morte do meu pai tudo mudou na minha vida. Depois de seis meses me deu uma crise estranha dentro de um mercado onde minha cabeça ficou estranha e minha pressão subiu muito. Depois desse dia minha vida nunca mais foi a mesma. Passei com psiquiatra que disse que estava tendo uma crise de ansiedade. Foi muito ruim porque parecia que eu iria morrer. Me passou uma fórmula pra mim tomar que era super caro e fora a consulta. A medicação me deixou muitos dias dormindo. Depois mudei de médico várias vezes pra resumir e também tomei várias medicações que também não deu certo. Tinha vontade de morrer e sumir e chorava por tudo com o passar do tratamento. Hoje passo com outro médico. Tomo no momento Daforin em gotas 20 mg vinte gotas pela manhã depois do café e dez depois do almoço e Reconter de 10 mg a noite antes de dormir.Rivotril de 25mg sublingual quando tenho crise. O médico avaliou como crise de pânico com ansiedade e uma leve depressão. Perdi meu emprego e confesso que não tá fácil. Nada di que fazia antes consigo fazer hoje. Fora que engordei uns 15 kilos de tanto dormir. E agora no momento estou me sentindo bem melhor. Só que perco o sono a noite e acabo indo dormir muito tarde. Mas vai fazer um mês que tomo Reconter e o Daforin um ano e o rivotril um mês também. Porque antes quando me dava uma crise tomava o outro rivotril normal porém me dava muito sono. Procurem por médicos que dão atenção e que expliquem o que acontece. Porque é muito fácil passar uma receita. Espero melhorar ainda mais pois tenho vários planos pois nunca é tarde pra recomeçar. Passo também na psicóloga mas não me ajuda muito tenho que mudar também. Boa sorte pra todos vocês e espero que melhorem cada dia mais. Que Deus abençoe a todos! Um grande beijo!!!

Anônimo disse...

Eu tenho pânico e depressão a uns 25 anos desde la venho na luta contra esses sintomas terríveis e já tomei amitriptilina...frontal....psicosedim etc... Agora comecei um tratamento com reconter e no primeiro dia já senti que é dos bons...estou saindo da sertralina que só me colocou pra baixo e tomo reconter pela manhã rivotril e amplictil a noite.....vamos ver se o reconter me tira dessa angustia....posta rei mais tarde os resultados.....

Anônimo disse...

Hoje foi o primeiro dia que comecei com o Reconter (escitalopram). Estou muito ansiosa e desanimada. Meu marido tomou tbem por um tempo o escitalopram e foi bom pra ele... tem os efeitos colaterais mas estou disposta a enfrentar essa... o exercicio fisico é essencial mesmo, vou me esforçar pra fazer...

simone disse...

Comecei a tomar hoje ,pois estou na menopausa e o corpo explodindo ,agora uma dúvida posso tomar a noite ,pois me deu mito sono e trabalho.

Anônimo disse...

Anônimo;comecei a tomar Reconter e minha vida virou do avesso:náusea,mal estar tudo mais de ruim que vcs possam imaginar. Vou largar de vez! Existe um interesse comercial dos laboratórios farmácia e principalmente dos psiquiatras inescrupulosos em receitar essas drogas que nos mantém escravos e dependentes desses medicamentos!

Anônimo disse...

Tomo Reconter a 3 anos, estou frustrada não consigo parar de tomar, estou c 32 anos ainda não casei, mas estou noiva, quero ter um filho, mas como posso, se não consigo ficar sem essa droga.E mesmo tomando sinto que na verdade não sinto nada, as vezes vejo as pessoas rindo e me pergunto qual a graça? Ai forço um sorriso so p fazer d conta. Me sinto triste quase o tempo todo.

Anônimo disse...

Tomo reconter a 3 anos, e é maravilhoso, tanto que não vivo sem...porém ultimamente tem me dado taquicardia, e não consigo parar , já tentei o desmame diversas vezes e não consegui

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails