sábado, 25 de setembro de 2010

Me deixem sofrer!

Quem acompanha meu blog desde o início, sabe que ele é uma colagem. Tenho posts contando minhas histórias reais, histórias que me mandam por email, textos opinativos, e também posto textos de outros autores que admiro, que estão por aí na internet, e que normalmente me vêm por email. Considero ele um tipo de agenda, daquelas que a gente tem quando é adolescente, e aonde cola fotos dos amigos, bilhetinhos, poesias, letras de músicas, coisas que aconteceram, enfim...
Desde que comecei a postar, muitas coisas aconteceram na minha vida, aliás, criei o blog justamente porque estava em uma fase de mudanças pessoais. O blog veio de encontro à história de muitas mulheres que passaram ou passam pelas mesmas coisas que eu, e até homens também, e todos entram em contato para repartir, multiplicar, refletir ou tentar amenizar os problemas que enfrentamos.
Noto que a maioria das pessoas, quando a gente está sofrendo por algum motivo, tenta apelar para que façamos uso da razão. "Esse cara não te merece!"... "Sai dessa!"... "Levanta a cabeça!"... "Decide logo!" Como se fosse fácil assim. Claro que a razão também temos, mas o coração tem horas que não obedece. Se fosse tão simples assim, não existiriam milhares de blogs tratando de relacionamentos. Era só desligar um botão e pronto.
Sempre considerei minha intuição. Claro que busco centenas de outras opiniões, mas nas poucas vezes em que preferi usar a razão para assuntos emocionais, continuei sofrendo, talvez de outro modo, mas sofrendo. E talvez até fazendo outras pessoas sofrerem. Porque acredito que lá no fundo todos sabemos o que nos faz feliz. Mas sempre tem alguém para repetir "Não é por aí".
Agradeço aos que tentam me ajudar, e adoro um ombro amigo, porém quem sofre sabe que precisa chegar ao fundo do poço, e de lá pegar impulso para subir. Se tiver que me estrepar toda, eu vou até o fim. Mas seguindo minha intuição. Então, esses dias comentei com humor e ironia os emails de auto ajuda que nos enviam. Para que milhares de livros de auto ajuda? Um só bastaria. Todos se repetem, como os emails e as correntes, e como os conselhos da maioria das pessoas.
Sei que todos querem nos ver feliz, mas "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é". Sempre chega o momento de cair na realidade. Ou não. Se repetimos os mesmos erros e nos damos conta a tempo, ótimo. Senão, o destino vai-se repetir incessantemente. E a colcha de retalhos que é nossa vida vai aos poucos cobrindo nosso corpo, nos sufocando. Então sabemos que apenas o tempo ensina, e a quem quer aprender.
Como na foto acima, acho que devemos dar o primeiro passo... e deixar acontecer todo o resto. É inevitável. E às vezes até bonito!

21 comentários:

Wallace disse...

Pela minha infância e adolescência, ouvi conselhos em situações críticas da minha vida, e sempre os acolhi muito bem. Entretando, nunca gostei quando a coisa era em aberto, à vista de terceiros, principalmente se havia uma reprimenda, mas mesmo assim nunca fui de dar respostas atravessadas. Por isso, acho que aqui na Internet é controverso dar e ouvir conselhos, principalmente porque hoje em dia todos nós temos reservas quanto a isso, já que a experiência de tempos passados nos mostra que os conselheiros às vezes são os que mais erram.

Luciana Penteado disse...

Uma ótima reflexão e que pode servir pra qualquer um... Já tive esses momentos e ainda tenho. Tive que aprender a passar por isso, pois sempre me considerei bem auto-suficiente.

As pessoas, de um modo geral, só querem ser felizes... o problema é que a gente idealiza no outro essa felicidade, isso nos deixa no vácuo quando a coisa não dá certo.

Estruturar-se novamente não é tão fácil quanto dizem esses textos de ajuda. Odeio todos eles. É muito simples dizer "saia dessa" e "se ame". Meu Deus, quem disse que nos odiamos? Acontece que o tempo, só ele nos coloca pra cima de novo, pois as coisas vão perdendo o sentido e a emoção de antes...

As decepções da vida são muitas, mas têm algumas que machucam mais e nos exigem um olhar mais demorado sobre elas. Mas um dia passam.
Ainda bem!
Ótimo texto!

Beijos pra ti!

Andréa Destefani disse...

Olha acabei de falar para uma amiga: uma estrela não pode nascer sem existir um caos primeiro. Você está corretíssima. O único conselho que dou num momento de crise é cuidar para não baixar muito a vibe porque os iguais se atraem e podem entrar em sua vida energias não tão boas. No mais aproveite sua crise pra crescer. Não aprendemos de fato a não ser por nossas experiências. Perfeito!
http://coisasdecasados.blogspot.com/

Taty Battistela disse...

Todos nós passamos por momentos de crise... seja por decepções amorosas, problemas no trabalho, etc.
E acho que cada um sabe qual é a melhor forma de enfrentar tudo isso, cada um sabe de si.
O que não pode é se entregar, pq quanto mais fundo é o poço, mais difícil fica pra voltar à superfície.

Mulherzinhas disse...

É bem isso mesmo...Eu dificilmente estou triste ou aparentemente sofrendo e muitos amigos não aceitam se isso acontece...Se vc termina um relacionamento as pessoas para ajudar tendem a deixar entender q foi o OUTRO q perdeu por não estar com vc...Mas concordo com vc: é necessário sentir a dor, só não podemos deixar prolongar esse sofrimento...

Beijos

Cristiane disse...

Querida, infelizmente nossa cultura não respeita muito o tempo de luto. É direito sofrer, sentir o luto, derramar lágrimas, estar introspectiva, pra depois renascer das cinzas, que seja.
Bom período de luto. Saímos mais fortes, mais bonitas e mais evoluídas disto!
Beijo grande e tô por aqui!

Flávio Siqueira disse...

Pra mim a questão não é sofrer ou deixar de sofrer por alguém...
E sim como se sofre...
Sofra em casa, no seu quarto, com seus pensamentos e suas recordações, mas trabalhe, continue estudando, converse com amigos assuntos diversos, porque apesar do seu sofrimento o Planeta continua seus movimentos habituais.

quadrantealpha disse...

Tenho sempre a seguinte frase esculpida na minha mente: "A dor é inevitável. O sofrimento é opcional".
Livros de auto ajuda, assim como as pessoas que os lêem ou escrevem, buscam se livrar da dor.
Mas existe algo mais edificante e construtivo que a dor? Será que a raça humana teria chegado até aqui, não fosse a dor? Teríamos, em última instância, nascido se não fosse a dor?

Entendo cada dor como um novo aprendizado. E entendo também que o que nos faz sofrer sempre são as mesmas coisas. Estigma? não! Aprendizado!
Algo deve ser digerido e aprendido e apreendido. Resta-nos aprender com os fatos. Se fato x nos faz sofrer devemos entender que as circunstâncias envolvendo o fato x são nosso calcanhar de aquiles. E deve ser corrigido.
O primeiro passo para a correção é, sem dúvida, evitar o maldito costume de buscar o responsável externo.
O segundo passo é perceber por que aquilo nos irrita tanto e nos faz sofrer.
O terceiro é encontrar dentro de nossos pensamentos e atitudes, algo que cause o mesmo tipo de dor às pessoas.
Ok! Isto vai resolver o problema, a dor? Muito provavelmente NÃO! Mas certamente tornará vc uma pessoa melhor para a sociedade, sua família e, principalmente, para vc mesma!
Então se não vai resolver, por que faria isso? Porque "a dor é inevitável, o sofrimento é opcional".
Torne-se uma pessoa melhor usando a dor.

É isso.

@roberto_pacman

Leda Binaca disse...

É como vc disse, todos tem conselhos a nos dar, muitas vezes são bons conselhos, mas na maioria das vezes não nos servem. Acho q conselhos são como roupas, não dá certo em todas as pessoas que experimentam, por mais q achamos q seja apropriado fulanos fazer isso ou aquilo, cada um sabe de si... Prefiro exemplos á conselhos, me parecem mais reais, mais humanos. Leio o seu blog a bastante tempo, desde resolvi fazer um Twitter, acho q faz um pouco mais de um ano, e vc foi umas das primeiras pessoas a me seguir, e logo de cara me identifiquei com seu blog, as vezes te acho parecida com a minha Mãe, pela força e vontade de viver e superar as dificuldades da vida, outras vezes acho q você lê meus pensamentos, fala de coisas q eu achava q ninguem mais seria capaz de entender... enfim quero dizer com tudo isso é q vc esta evoluindo aos poucos e mostrando através dos seus textos q a melhor maneira de viver a vida é simplesmente vive-lá, com os seus erros e acertos, mas vive-lá, e não fiacar em casa se lamentando e ver o mundo girar atraves da janela e não ter coragem de sair e enfrenta-lo...

Aparecido disse...

Minha Cara, comentar o quê?
Você disse muito, senão quase tudo, sobre "cada um saber a dor e a delícia de ser o que é".

O grande drama disso é quando a pessoa deixa de ser o que é para ser apenas um apêndice do outro. Aí, a dor dói mais e mais tempo.

A dor do desamor (ou apêgo), não é maior nem menor de acordo com o sexo e sem querer ser comum, mas já sendo, o melhor analgesico é o tempo.

Quanto aos livros de auto-ajuda,depois que nos curamos os repudiamos, mas é sempre bom te-los na estante. Sabe-se lá!

Lena disse...

Oi!
Corretíssima!
O ser humano necessita do sofrimento para aprender, para se tornar forte.
Sofremos por que não sabemos administrar a dor e precisamos aprender isso. Quando isso acontece, vem aquele estalo, um clic que nos abre os horizontes, até aí, todas as palavras ditas, não passaram de meras tentativas.
Para deixar de sofrer é necessário ter uma certeza que vem de dentro de nós, que nos diz que já está na hora, que tudo passou.
As vezes entre tantas palavras e frases repetidas, há aquela que nos faz enxergar a realidade e talvez está é capaz de fazer nós chegar no fundo do poço e tomar o impulso necessário, por que ela nos trouxe a verdade e nos mostrou a realidade, mas é raro!
bjos
Lena

Antonio C Ribeiro Jr. disse...

Querida, amiga!

Passando por algo semelhante - os meus recentes posts revelam a minha alma e o meu coração - solidário que estou aos seus sentimentos gostaria de dizer que: lá,do fundo do poço de nossa existência deixem-nos sofrer, berrar, chorar, espernear, resmungar,
xingar, reclamar pois, humanos somos, sentimentos temos mesmo que, imperfeitos sejamos, voltaremos,sim, tal qual o famoso "Phoenix" ressurgiremos das cinzas para alçarmos o mais alto dos voos correndo, claro, riscos de novamente nos estatelarmos no chão e, tudo novamente vivenciarmos. Viva a nossa dor!
Beijos, sempre!

laylasan disse...

é isso aí minha linda!
tudo a seu tempo.
como diz meu primo: "O tempo é o senhor da razão".

Beijocas.

Angelike disse...

FAN TAS TI CO

Achei perfeito o que você disse, quero viver minha dor da maneira que achar melhor, o pior de tudo são as amigas que não se contentam em apenas falar para você que a pessoa não te merece, mas vão lá falar para a pessoa que você está sofrendo por ela e que ela deve desaparecer de nossa vida. Eu perdi definitivamente alguém que me era muito importante, por causa de uma amiga que pensou no meu bem. Só causou mais dor. Essa ferida está difícil de cicatrizar, mas sei que um dia cicatriza e no meu tempo.
beijos.

Ella Fachin disse...

Minha linda entendo perfeitamente o que você sente, a necessidade de por pra fora, falar, seja através de um blog ou se abrir com uma amiga ajuda muito a aliviar a dor...nos sentimos melhor.

Grande beijo da, Ella!

40tona disse...

Entendo muito bem do que vc fala porque minha situação conjugal acaba sndo igual a sua e de milhares de mulheres por aí.E a frase que mais ouço é justamente que ele não me merece e blá blá bla.Mas isso eu sei.O problema é que cada um tem seu tempo,seu caminho diferente a seguir.Assim como nem todos seguem o mesmo caminhopara chegar ao altar,nem todos seguem ou querem seguir o mesmo caminho para descer dele.Enfim.Nós,somente nós saberemos a hora exata de por o pé pra fora.
Beijão e parabéns pelo tema.

Sidio Júnior disse...

Conselho é tão bom que deveria ser vendido. É isso que digo aos meus alunos e aproveito muitos bons exemplos que me são dados.

Não gosto de sofrer e não pesso para me dexarem só em momentos de angustias. Busco familiares, converso, falo sobre o problema e, às vezes, o palpite alheio me faz refletir.

Admitir conselhos não significa tranfesrir a responsabilidade pela solução do problema para outrem. Apenas reconheço que sou um ser social (dependente do convívio social), sem o uqal tenderei a ter problemas desnecessários.

@lucames disse...

Olá,

Não sei se entendi o post, mas o final você diz aquilo que é defendido como comportamento para a vida, pelo Taoísmo: Wu-wei, que significa literalmente "nada fazer". Mas não no sentido de ficar parado, e sim no sentido jovem-popular de "deixar rolar". Pois: "Não apresse o rio, ele corre sozinho", não é mesmo?
Abraços,
@lucames

Eduardo Dalla Costa disse...

Como ja fora dito aqui, queremos a felicidade um do outro, por gostar, amarmos a pessoa, ou, até mesmo se nem ao menos conhecemos a quem desejamos felicidade, isso por querermos o bem, ou por querer receber em troca o que desejamos, enfim, queremos a felicidade do outro.
Só que muitas vezes damos nossos conselhos e rezamos para que seja feita a nossa vontade, a vontade que na maioria das vezes não conseguimos, nós mesmos, executá-las.
Todos sabemos o caminho certo a trilhar, então por que não o trilhamos?
Por que não é nada fácil, fazer o que é o certo a fazer, precisamos de força, força essa que deve brotar de dentro de nós, não dentro dos que nos rodeiam.
bjus nobre e querida amiga.
OS.: SEJAS MUITO FELIZ!!!!

Bary disse...

Uma coisa que gostaria de colocar como observação, por tras dos conselhos de "oh eu quero que vc seja feliz" esta uma pessoa que quer que vc acredite no que ela acredita.
Entao nunca vai ser pela sua felicidade. As pessoas nao dao conta da propria felicidade e vai ficar dizendo oque o outro vai fazer?
Melhor agente mesmo se ferrar com as nossas ideias do que com as dos outros.

liaAmora disse...

Concordo com você. O que acontece é que a maioria de nós nos achamos "muito ótimos" e tanto, que podemos dar conselhos e achar "um absurdo" o sofrimento alheio.
Conselhos não são cabíveis pois somos diferentes um do outro e cada um tem um universo de experiências único.
Sofrer não é mau. Estar no fundo do poço também não e costumo achar que é preciso descer lá no fundão para bater o pé no e voltar com força. Sofri muito durante minha separação. Dois anos ante, 2 depois. Até que cheguei ao fundo do poço: tive câncer.
Bendito câncer! Foi quando consegui dar o impulso que precisava para voltar à vida.
Hoje não sofro mais... sou feliz comigo mesma, quero a vida que eu tenho, amo meus filhos, sou amada.
Guardo uma frase comigo: "Tudo passa, tudo sempre passará" do Lulu Santos.
Tudo passa. Ainda bem.
Bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails