segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Alguém anotou o número da placa?

Hoje volto ao motivo inicial que me moveu ao criar este blog. A passagem pelos 40 anos. Estou passando, talvez mais rápido do que gostaria, mas o fato é que é bem fácil falar que é a melhor fase da vida, que os 40 são os novos 30, etc, etc. Não é bem assim. Para algumas, talvez até seja, e eu então me considero imatura comparada a elas, porque certas coisas estão demorando para serem aceitas como parte da vida. Da minha vida.
Hoje comecei a fazer hidroginástica. Depois de muito brigar contra a minha natureza, porque sempre fui rata de academia. Até que a idade foi chegando, e com ela, os problemas de coluna. O médico começou aconselhando, terminou ameaçando. Ou hidro, ou pilates, ou vou acabar na faca. Não posso mais caminhar. Nem levantar pesos. Ainda insisti um pouco em casa, pois amo ginástica localizada, que já faço há 25 anos. Mas acabei tendo que tomar remédios fortíssimos para dor. Ou seja, porque não aceito envelhecer rsrsrs...
Para mim, exercícios físicos e espelhos sempre foram sinônimos. Sempre adorei ver meus músculos se contraindo no espelho, sentir o suor escorrendo pela nuca, sempre corrigindo a postura e procurando fazer o movimento mais exato. Tinha épocas que passava 3 ou 4 horas por dia malhando. E hidroginástica para mim sempre foi coisa de velha, sem querer ser preconceituosa. Uma coisa meio parada, meio de doente mesmo. Como sempre, estou sendo bem sincera.
Mas a hora de cada um sempre chega. Depois de 2 anos sentindo dores diárias, e adiando, acabei lá, na hidro. Junto com uma porção de mulheres bem mais velhas ou bem mais gordas do que eu. Quando entrei na piscina, ficou todo mundo me olhando. Depois imaginei por que seria. Achei que foi por causa de uma grande tatuagem que tenho no braço, que é tão agressiva quanto meu temperamento. E meu temperamento não se importa em chocar ou chamar a atenção.
Gostei de fazer hidroginástica. Mas porque minha cabeça está mudando. Acho que estou aceitando estar com quase 44. E estou vendo vantagens nisso. Por exemplo, atualmente ando às voltas com "perder 3 quilinhos"... mas não é nem um pouco por estética, se fosse por isso estaria me lixando, me sinto muito bem como estou, obrigada. Mas, mais uma vez, por questões de saúde.
Senti falta de me olhar no espelho fazendo exercícios. Parecia que não estava fazendo nada, pois não doía, não suava, não enxergava. Mas, aos poucos, o bicho foi pegando, e como estou fora de forma justamente por não estar mais conseguindo malhar como adorava... fui sentindo os músculos. Nem sei como vou me sentir amanhã. Agora estou ótima! Se estiver dolorida amanhã, vou adorar! Só quem gosta de exercícios sabe do que estou falando - aquela dorzinha gostosa do
day after.
É uma mudança pequena. Mas para mim é enorme. Mudar de hábitos não é fácil, depois dos trinta, a gente passa a ser cada vez menos flexível, se não se der conta disso. É o tal do envelhecer na cabeça e não no corpo. Mas eu mais uma vez estou notando que posso, sim, continuar mudando. E fico muito feliz com isso. Aliás, venho notando algumas mudanças em meu temperamento ultimamente. Coisas da idade? Nao sei, mas vou continuar por aqui falando sobre isso e buscando pessoas que pensem parecido.
Enquanto isso... alguém aí anotou o número da placa do caminhão que passou por cima de mim hoje naquela piscina?

10 comentários:

Reflexora disse...

Eu odiei fazer 40 anos tb. Por sorte estou conseguindo malhar muito, o que ajuda.
Por azar, após longoooosss relacionamentos, é a 1a vez que estou só. E logo aos 40, caramba?
Em alguns momentos curto minha maturidade, em outros odeio tudo, pra começar pela pele mais seca.
Mas se a gente não envelhece é pq morreu antes, certo? Então espero passar por essa com algum juízo e muita risada.

beijo

SrtA. L. disse...

Menina,

Estou no mesmo dilema...rsrs

Concordo plenamente contigo, ademais adoro

vir aqui, sempre agradáveis leituras...

Parabéns!!!

Beijo doce...

;)

@lucames disse...

Oi,

Vc escreveu: "E hidroginástica para mim sempre foi coisa de velha, sem querer ser preconceituosa. Uma coisa meio parada, meio de doente mesmo. Como sempre, estou sendo bem sincera."

Muito bem. Quem diz "sem querer ser (pre)conceituosa" já está indicando como pensa, não? Vc acertou no próprio julgamento. É isso q se pode deduzir desse seu artigo. Precisa trabalhar mais isso, em outras áreas de sua vida, talvez.

Abraços,
@lucames

Glorinha Castro disse...

Como você, venho tentando aceitar as mudanças que o tempo nos impõe,muitas vezes me pego pensando nas perdas em detrimento dos ganhos.Neste mundo globalizado em que a aparência física é quesito avaliativo do ser; faz-se necessário trabalhar a mente para aceitar o corpo e suas limitações.
Nada é fácil na vida,partindo deste princípio continuo meu caminho em busca da felicidade.
Obrigada pelo post.

Beijos e sucesso sempre :-)

Organom disse...

Mudanças, se não mudarmos estamos indo contra a natureza, não é verdade.

Mulher de 40 disse...

Quando disse que não queria ser preconceituosa, não estava confessando um defeito meu, apenas sendo sincera e esclarecendo que ser coisa de velha não é necessariamente ser uma coisa ruim. Adiante, no texto, explico o que é ser velha para mim. E espero nunca ser "velha" nem querer julgar ninguém.

By Alê disse...

Acredito e Posso !!!
Essa é frase.
Parabéns, é difícil mais possível amiga, exemplo estou numa nova vida esse ano parei de fumar em fevereiro e olha que fumo a muito tempo 16 anos ou mais. Você esta no caminho certo. Parabéns lhe desejo muito sucesso e ótimos exercícios. Abraços do Alê e até apróxima.

Eliane disse...

Parabens pelo texto!
Eu tambem tinha problemas serissimos na coluna, melhorou muito com aulas de RPG que fiz por looongos 6 meses, mas se voce gosta de aulas cheia de dores e suor, esquece, no maximo que voce vai conseguir com aulas de RGP é sim suor, pelas posições que te fazem ficar por quase 50 minutos, falo brincando que não desejo isso nem ao meu pior inimigo... rsrsrs, mas... as dores melhoraram muito. Beijos e uma otima semana pra voce.

eva mooer disse...

então espere chegar aos 50.....as mudanças não param,vc mal aceita uma e já percebe outrassssss.Precisei parar de me ver com 30,e aceitar que a senhora da foto era eu.O meu amor pela vida não mudou.O corpo reage,quer descansar,parar,se aceitar,mas a mente luta para segurar o último vestigio da juventude e me pego em incriveis aulas de body combate,jump,e longas caminhadas.Preciso unificar meu espírito,corpo e mente.Tá dificil.Cada um quer seguir para um lado.Amei seu blog....
abraços

Gisele disse...

Qdo fiz 40 anos, senti-me mais só ainda. Não tive a ventura de casar-me e já faziam 5 anos que cuidava da minha mãe. Mas era profissional competente e meu corpo era 'legal'.
Hoje, às vesperas dos 46 anos, não arrumo mais emprego e engordei 40 kg. Ou seja, sinto-me um monstro, sem possibilidades. E o pior, o fantasma da menopausa anda me assombrando e creio que não vou mais recuperar a forma física, que servia de consolo. Acho que os 40 não são os novos 30 e sim os malditos 50. Ai, como dói!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails