sábado, 20 de agosto de 2011

Onde estão os pais?

Tenho convivido com adolescentes na faixa dos 15 - 18 anos em ocasiões sociais. Há 10 anos trabalho com eles e adoro o contato com essa faixa etária. Mas tem-me surpreendido o seu comportamento em sociedade.
Como disse alguém esses dias, parece que hoje em dia a moda é ser bagaceira. Marginal, mesmo. Começando pelo gosto musical, que nem se pode classificar de tão heterogêneo e lixo que é. Músicas que falam de baixaria, mesmo. Artistas que nem deveriam receber esse título. Ritmos que embalam amassos sem fim em frente a crianças e idosos que vão às festas comemorar os 15 anos de netas e primos.
Hoje, é careta ser educado.
Eles não têm o menor respeito a ninguém nem a nada. Estou generalizando, claro. Isso sempre existiu. Mas quando eu era jovem, era a exceção. Hoje infelizmente virou a regra. Adolescentes com vestidos micro - parecem ter esquecido a metade em casa. Meninas rebolando como em bailes funk. Meninos quebrando copos, vasos e até a louça sanitária dos banheiros.
Eles bebem e fumam. Concorrem para ver quem é o mais mal vestido. Camisa para fora das calças, tênis, gravata, parecendo um arremedo de - argh! - Restart. Cabelos invariavelmente desalinhados de propósito. Me desculpem, pode ser a moda, mas tem lugares e lugares para se exibir um visual tão lixo. Festa de 15 anos? Deveria ser renomeada. Festa da iniciação à putaria e à delinquência.
Nas redes sociais, postam desde cedo fotos em atitude sensual. Os meninos, sem desgrudar do copo. Até fotos com armas já vi postarem. Se eu começar a falar da linguagem e do péssimo português, então... E vejo isso tudo em várias classes sociais, desde os mais pobres, estudantes de escolas públicas, até filhinhos de papai que estudam em colégios caros. O que muda é o preço das roupas.
Não sei para onde vão. Na época em que eu era jovem, também gostava dos rapazes mais velhos de 18 anos e tal. Mas eles já estavam fazendo faculdade. Os de hoje estão patinando em um Ensino Médio que não ensina nada, dentro de um sistema educacional que confunde ensino com educação, já que em casa não se usa mais educar.
Quem vai cuidar deles?
Onde estão os pais dessas crianças? Por que os colocaram no mundo? Para chegar no final de semana e simplesmente deixá-los saírem por uma porta e só regressarem bêbados e desalinhados? Algumas mães dão pílulas anticoncepcionais às filhas. Desistiram de qualquer tipo de diálogo e controle e nem pensam em sexo seguro. Porque nem falam sobre assunto nenhum com os filhos.
A gente também bebia. Também tomava porre. Também "ficava". Mas tinha lugar para tudo. E hora. Respeitávamos a família, os pais. A "primeira vez" era uma instituição. Cigarro e bebida, meras transgressões ocasionais que não tinham sequência nas segundas-feiras. Hoje eles entram como cigarro aceso na escola, se deixarmos.
Sei que estou sendo bem alarmista com esse post. Existem lindas exceções a isso tudo. Mas, infelizmente, hoje é exceção uma criança ser criança, um jovem ser estudioso, ambos respeitarem a família, e a família proporcionar um ambiente sadio ao seu crescimento.
Se não sabemos aonde estão os pais, não saberemos tampouco para onde vai essa juventude. Sou mãe e me preocupo. Sou mãe e cuido. Sou mãe e educo. Sou mãe e me importo. E você? Sabe onde está seu filho agora, com quem e como? Por quê deixamos chegar a esse ponto?

22 comentários:

Desejos e Fantasias de Casal disse...

Excepcional postagem e ponto de vista.... também lidamos com jovens e temos percebido que cada vez está mais complexo e eles estão cada vez mais perdidos, desorientados e até mesmo carentes de atenção, carinho e fazem de tudo para ter essa atenção que falta em casa...

Temos um filho pequeno e estamos tentando dia-a-dia embutir bons conceitos, educação, respeito e até mesmo a questão musical estamos mostrando o que é boa qualidade...

beijos

Cris e Junior
http://desejosefantasiasdecasal.blogspot.com/

Wilson Caetano disse...

Poxa! Vc falou tudo, eu como pai de uma menina de 14 anos sei como é difícil educar e manter esses jovens na linha.
Mais uma vez vc se superou em suas matérias, parabéns.

Roséli disse...

difícil analisar isso sem generalizar demais.

eu tenho uma filha de 16 anos ... e há anos convivo com adolescentes também ... vejo toda essa situação de abandono que você vê, mas vejo tbém adolescentes centrados e que sabem se portar segundo pede a ocasião ... minha filha tem um círculo de amigos extremamente saudável e de todas as classes sociais .. (achei bem bacana ela ter feito o colégio de aplicação por isso)

não tive maiores problemas com minha filha adolescente do que em outras épocas de sua vida ... pelo contrário, quanto mais adulta, mais nos aproximamos oe/u nos entendemos ...

deve haver uma maior atenção na infância, para que esses jovens cheguem mais saudáveis à adolescência ... o fato é isso, como vc colocou, exige muito mais da paternidade/maternidade ... estar educando uma criança é trabalho de tempo integral e muito snão têm estrutura para isso ...

beijo pra vc!

Drica Tavares disse...

Olá querida

Excelente post, tenho um filho de 17 anos e sei que nao é nada fácil.
Alguns pais estao ausentos outros se fazem presente,educar filho ñao é nada fácil é uma missao e dá trabalho. Muitos preferem dar $ do que amor e atencao e acredito que isso faz com que esses adolescente tomem certas atitudes para chamar a atencao.

Parabéns pelo texto

escravo roger{RF} disse...

A mãe tá no shopping e o pai enchendo a cara no bar.

Cadu disse...

Infelizmente essa geração de pais tem problemas graves em controlar o que é liberdade e o que é controle. Temos famílias que os filhos são criados pelas empregadas, mães e pais mais preocupados com carreira que com filhos, criar e educar virou pagar boas escolhas e dar os presentes caros

Adriana Mara disse...

Muito interessante o post. Realmente é essa a realidade dos adolescentes de hoje: intelecto lá em cima, moral lá embaixo.
Penso que isso é resultado da combinação de vários fatores: A ausência dos pais: que hoje em dia estão trabalhando cada vez mais e chegam em casa com o cansaço e estresse do dia nas costas e não conseguem dedicar um tempo razoável a educação dos filhos,a falta de planejamento familiar, influência exacerbada das mídias, tempo ocioso mal aproveitado pelos adolescentes, a falta de interesse pela a leitura apropriada: hoje em dia o jovens dividem suas vidas em televisão e internet, falta de religião na educação familiar: sim, sem querer puxar pra qualquer tipo de religião, sem fanatismos, sim, esses adolescentes precisam mais da presença de Deus em suas vidas, a valorização demasiada do dinheiro, enfim, vários fatores que juntos só comprometem mais a educação desses adolescentes.
Meu filho mais velho ainda não é adolescente, mas venho me preparando pra isso desde quando ele nasceu, por penso que é agora a hora de educá-lo corretamente, na infância.

Beijos!

Bia_designer disse...

Eu por acaso, sei onde meus dois filhos estão. E existe uma cumplicidade entre nós 3: eles me dão satisfação e eu dou a eles em contrapartida.
O problema começa com a separação do casal. Um vai pra um lado outro pro outro, querendo buscar a felicidade a todo o custo. Os filhos??? Ah esses passam a ser meros "detalhes". A lei é: cada um que se vire! Natal , Ano Novo, outras datas, todos os dias... Vamos combinar que criar filhos é complicado e trabalhoso e que é preferível ganhar grana, independencia financeira e liberdade do que ficar atrás de "aborrecentes" querendo saber o que fazem, com quem estão e se usam drogas.
É... a criação de filhos se tornou isso ai. É lamentável, triste, revoltante e bla bla bla.. Mas fazer o que?
Cada um planta o que quer.. mas atenção na hora da colheita!

LandNick disse...

Um texto real! E angustiante! Sempre comento em casa esse rumo que a "civilização" está tomando! O que me conforta é a resposta dada por Gilberto Gil a um repórter que perguntou a ele certa vez, porque continuava a colocar filhos num Mundo tão violento? Resposta do Gil (de memória):- "Porque nós estragamos esse mundo e somos nós que vamos ter que consertá-lo!"

Mr Valarini disse...

Falou muita coisa... realmente vemos, cada vez mais, os adolescentes sem rumo. Não estudam, não têm respeito, nem consigo mesmo e nem com os próximos... Mais velhos? querem que se explodam. a moda é sair por aí fazendo seu próprio barulho com seus aparelhos eletrônicos de alto volume e de gosto musical duvidoso. Meninas menores que só sabemos que são menores se olharmos os documentos de identificação. belo texto. Parabéns.

LUIZ 45 disse...

aqui do condominio , onde moro no meu bloco , tem uma menina de 14 anos , ela tem porte fico de uns 18
pai e mae nem parece que existem ,
a menina já si perdeu , dá pena.
cada vez que entro no elevador e encontro com o pai dela , tenho
vontade de falar um monte pro canalha , chego a sentir raiva de
um tipo desse.

Curiosa disse...

acho que a humanidade, ou a juventude, não está MAIS perdida que em qualquer outra época histórica ... hoje apenas estamos mais informados e abertos a debates sobre questões como esta ... penso que estamos a evoluir, sim ...

Helen De Rose disse...

Gostei da reflexão. Só posso responder por mim, como mãe e filha. Educar filho não é para qualquer pai ou mãe. Educar filho dá trabalho, requer tempo, paciência, disposição e acima de tudo, exemplo. Não tenho vícios, sou apaixonada pelos meus filhos (um casal) e em momento algum infantilizei os dois. Temos uma relação de respeito e diálogo. Meu filho tem 20 anos, faz engenharia mecânica e também não tem vícios. Minha filha tem 22 anos e tem limitações no desenvolvimento mental, físico e sobrevive com nosso auxílio e amor. Sinto pelos pais que não estão presentes na vida dos seus filhos, por 'n' motivos, por infantilizarem e não respeitarem seus filhos como pessoas humanas, sinto pelos pais que possuem vícios e não podem ser exemplos para seus filhos, pais liberais, filhos sem limitações. Uma família é o resultado do amor, da união e do respeito mútuo.

Ilana Trevisan disse...

Também sou mãe de uma adolescente, percebo que essa sua generalização é real, realmente o quadro como um todo é assustador, mas também acho que isso se deve ao fato de termos acesso a mais informação, e que esse perfil de adolescente sempre existiu, só que antes não existia máquina digital, celular com câmera, youtube, orkut e internet, e com isso hoje podemos julgar mais as atitudes dos jovens. Sem querer levantar bandeiras, sou uma mulher de quase 40 anos, mas quando vejo alguém tachando Restart de porcaria eu prefiro defender, você já LEU as letras das músicas deles? Nada de palavrão, nada de coisas obscenas, perfeitamente ideal para adolescente ouvir. É apavorante o fato de mostrarem as cuecas e usarem as calças lá no joelho, mas isso não é moda deles, já faz um tempo que os skatistas lançaram essa de calças caídas, em pouco tempo outra moda entra em vigor (se Deus quiser). Diálogo é sempre o melhor caminho, é assim que faço com minha filha, mas saber exatamente como ela se comporta longe dos meus olhos, isso só depende de confiança, em si, nela, na educação, nos valores passados... não dá pra saber como é, mas dá pra saber muuuuuito mais do que minha mãe sabia de mim. Parabéns pelo blog, adoro!

MulherNaoPresta disse...

Bem, eu tenho o costume de dizer "tome cuidado com o que você diz. Palavras têm força".

Assista ao vídeo abaixo e vamos concluir mais pro fim deste comentário:

Link:
http://youtu.be/CdUKf9rqfiQ

Minha opinião sobre isso é:

Negligência.

Todos os pais são negligentes, de uma forma ou de outra.

Não precisa ser um bêbado irresponsável para ser negligente.

Por exemplo: assistir à Insentato Coração com a filha pequena acompanhando, é negligência.

A criança, ao contrário do que os adultos superinteligentes pensam, absorve todo o contexto. Ela entende as conotações sexuais, ela percebe a malícia.

Achar que a criança não vai entender o teor sexual de uma piadinha ou de um trama da novela ou de um filme é fazer de conta que nada está acontecendo. Isso é negligenciar.

A publicidade, os Fautões, Gugus e Rodrigos Faros promovem esse circo enquanto você providencia o seu próprio pão.

A mensagem repetida inúmeras vezes se torna verdade. Por exemplo: uma criança que cresce sendo inundada por comentários de tias e avós que criticam outras pessoas em casa apresentará um comportamento muito similar mais pra frente, logo na adolescência.

Reflita sobre o que você anda fazendo com seu filho.

Se você acha que para criá-lo, basta colocá-lo na frente do Discovery Kids ou ligar o Blue Ray com o filme Carros 2 e ir descansar você provavelmente está negligenciando a sua função como pai ou mãe.

Uma vez perguntei à minha mãe porque ela resolveu ter filhos. A resposta foi "Porque eu queria ver como ia ser a carinha deles".

Só que trazer ao mundo uma vida é muito mais do que isso.

Um abraço e ótimo post, Mulherde40.

Beijos.

Nath disse...

Nossa, primeira vezque entro no blog e já vejo essa postagem, concordo totalmente com vc, embora tenha 18 anos acho um absurdo oque está acontecendo com o mundo, o pior que a maioria dos pais não sabe educar os filhos, as vezes nem é "negligencia" por assim dizer, meus vizinhos mesmo, se eu não tentar dar um pingo de educação pro filho deles, eles não dão e depois ficam reclamando como o menino é mal comportado.

Adorei a postagem

Nanda Botelho disse...

O mundo nunca foi manso... Acho que o que acontece agora é que estamos experimentando uma total falta de limites. Em terapia, antes de haver uma mudança equilibrada, vem um desequilíbrio para o lado oposto. Se somos contidos nos tornamos anárquicos.

Penso que isto está acontecendo com a humanidade, nas décadas iniciais do século 20 fomos comprimidos, castrados então vieram os anos 70 e abriu a caixa de Pandora. Estamos vivendo o resultado dessa abertura, e o jovem é o abre alas, ele é quem mostra mais o que está acontecendo.

Acredito que no século seguinte poderemos seguir as leis pelo entendimento, não pelo medo (como era no início do século 20).

Postarei em Setembro um texto falando de uma pesquisa sobre o jovem no Brasil que diz exatamente o contrário desta impressão de desgoverno que temos. Eu vou lhe avisar quando sair!

Bjs!

Anônimo disse...

Hm...Você tem razão, a maioria dos jovens que conheço são assim, as garotas da minha idade, de 12 anos, já se vestem como adultas e muitas vezes nem são mais virgens, essa é a triste realidade delas, mesmo as que são filhinhas de papai, e dos garotos nem se fala, a maior parte não quer saber dos estudos e ficam vagabundando por aí com o dinheiro dos pais...Na maioria dos casos os pais trabalham tanto, assim como os meus, que não têm tempo para os filhos, chegam em casa tarde e já querem dormir de tão exaustos que estão, mas acho que essas ações dos filhos dependem, também, da personalidade de cada um, eu, por exemplo, vou bem na escola, me visto como uma jovem da minha idade deve se vestir e o meu português é razoavelmente bom, isso tudo precisar que meus pais fiquem me vijiando e colocando certos limites...As vezes eles dizem que queriam que as outras crianças fossem como eu...
Bjs...

Eduardo Dalla Costa Rodrigues disse...

Muito bem pontuado, hoje os pais dão computadores e video games todos ligado a internet, e esquecem de dar atenção educação, esquecem de ensinar o respeito aos mais velhos, esquecem também de ensinar a se comportar em público. O valor das pessoas fora trocado pelo valor das coisas. Um carro tem mais valor do que a vida de quem esta dirigindo.
O nome do que você escreveu acima é Negligência Familiar, Violência Doméstica, abandono de incapaz, abandono intelectual.
Somente vamos voltar ao normal se formos capaz de assumir nossos erros e realmente cuidarmos de nossos filhos como deveríamos.
acima de tudo e em primeiro lugar devemos ensinar o respeito aos mais velhos.
Tem um ditado que diz que só quem respeita o passado terá futuro.

Anônimo disse...

Existe um culpado.


Feminismo.

Anônimo disse...

Bem sou uma garota de 17 anos que estudo em escola publica... Sempre fui diferente destes adolescentes... Por isto dez da 8° serie por ser diferente sou excluída pelo outros alunos... Nós somos sim uma geração sem pais... Meus pais deixam eu fazer o que quero, nem perguntam a que horas vou voltar... Porém nunca aceitei nada disto sou a melhor aluna, sou educada, não me sinto bem andando quase pelada por ai e ficando com vários homens em uma noite, odeio os adolescentes com os seus papinhos fúteis... Esta geração sem sonhos sem expectativa... Vivem um dia de cada vez e acham que isto é bom... Não consigo ter amigos com a mesma idade que eu... No ano que vem vou fazer a tão sonhada faculdade... E muitas garotas que riram de mim enquanto aos sábados eu estava em casa estudando, no ano que vem aos sábados elas estarão cuidando de seus filhos... Pois 8 garotas que estudam comigo estão gravidas... Que absurdo... Os pais de hoje simplesmente não se importam com nada.

Glaucy disse...

Muito bom o texto,sempre fui alvo de comentários de mãe que pega no pé,não faz isso que o menino tem que aprender a se virar sozinho,eu sou uma mãe chata,por ser assim só estou colhendo coisas boas,educar nunca foi facil,mas se tiver amor,respeito,união,limites,já é meio caminho andado.MInhas amigas ficam admiradas com o respeito que meus filhos tem comigo e saõ obedientes,e eles não são mais crianças não,tenho uma com 26 e um rapaz com 19,eu respondo que não tive sorte eu sempre marquei presença na vida deles.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails