domingo, 16 de agosto de 2009

Rebeldia

Nem lembro de quando comecei a ser rebelde. Acho que já nasci rebelde, pois minha mãe conta que eu nasci enforcada no cordão umbilical... me rebelei e fiquei viva!
Cientistas americanos afirmam que os segundos filhos tem maior tendência a ser mais independentes, rebeldes e aventureiros.
Quando era pequena, me rebelava quando queriam me dar castigo, teimava sempre... eu queria que tivesse uma razão bem forte para aquilo, mas a resposta era uma palmada e mais castigo!
Na adolescência, então, foi a marca da rebeldia. Nem aprontava tanto, mas nunca uma filha discutiu tanto com uma pobre mãe. Um dia ela cansou de tentar me podar e disse: "Tá bem, ao invés de voltar sozinha ou com estranhos de madrugada, espera amanhecer e volta sozinha!"
E sempre teimando, sempre querendo ser diferente do resto, e sempre rebelde. Tenho uma amiga que diz - quando eu morava sozinha - que eu era tão rebelde que ia fugir de casa!
Casei, mas não quis casar na Igreja como todo mundo fazia, só no civil. E festa, só para poucos e bons. Também nunca me passou pela cabeça assinar o nome do meu marido, eu jamais deixaria de assinar o meu nome, dado pela minha mãe e pelo meu pai! Como iria colocar no meu nome o de um estranho?
Depois de casada, começaram obviamente a cobrar que tivéssemos filhos. Um dia, cansada de tantas cobranças, falei "Pra quê que eu quero ter filhos? Já tenho uma cachorra!" Rebelde!
Quando me separei, caí na gandaia. Aguentei muita falação. Porque, em cidade pequena, mulher separada é puta, mesmo que não fique com ninguém. Fiquei com fama, mas continuei fazendo o que me dava na telha. Entrava e saía dançando das boates, chamando a atenção!
Certa vez, fui a um espiritualista, em uma cidade muito distante da minha, e ele me falou assim: na outra encarnação você era uma mulher muito rica e rebelde, que andava descalça caçando pelos campos. Achei aquilo a minha cara! Pena que nesta encarnação ficou só a rebeldia...
Rock'roll, sinônimo de rebeldia... Sempre adorei, até hoje é tudo o que me faz bem, nas horas boas e más, sempre rock... até já fui cantora de rock!
Escorpião é meu signo e isso já basta, não precisa falar mais nada... Dizem que escorpianos não se curvam diante de ninguém e de nada, não suportam hipocrisia, são rebeldes, inconformistas, e com certeza eu também sou tudo isso.
Hoje sou mãe, e continuo rebelde. Nunca aceitei palpites de comadres na criação e nos cuidados com minha filha, sempre busquei em leituras orientação para isso. E às vezes penso que quero que minha filha também seja rebelde, pois acredito que assim conquistamos um espaço diferenciado, conquistamos amigos verdadeiros e valorizamos as nossas conquistas de outra forma.
Beijos na boca!

4 comentários:

Nanda Lima disse...

Agora eu finalmente entendi porque me identifico tanto com os teus pensamentos: também sou escorpiana. E típica. Você me descreveu aí! Fui uma criança questionadora, jamais passiva, opiniática, e hoje sou uma jovem com isso tudo ao quadrado. E quer saber: adoro ser assim!

Mulher de 40 disse...

Eu tb adoro ser assim!!! E viva as mulheres de atitude!!
BJS

Leda Bianca disse...

Adorei, as vezes quero ser assim REBELDE mas não sou(meu sigino é peixes), sou rebelde por dentro, por fora sou submisa e incompreendida, e qto ao Rock (q eu tbm adoro)é a minha forma de por pra fora td q sinto, td q eu gostaria de ser... adoro os seus textos!!!!!
BEIJOS!!!!!!

Carlos Eduardo Nascimento Gomes disse...

Bacana seu blog! Vim parar aqui pesquisando no Google a respeito de filhos rebeldes. Sou o segundo filho e sou diferente do meu irmão mais velho, que é conservador e visivelmente mais amado por nossa mãe.
Gosto muito de ver mulheres independentes transmitindo isso, pois acabam influenciando outras a serem também.
Um mundo onde as pessoas possam ser livres para escolher seus papéis na sociedade é tudo o que precisamos, e, que bom que cada vez mais conseguimos!
Parabéns pelo texto, e sucesso com sua página!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails